Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ADSE: Forum dos Beneficiários - saudefp.pt

Fórum criado aquando das primeiras eleições (2017) à representação dos beneficiários no Conselho Geral da ADSE,IP, sob o lema "por uma ADSE Justa e Sustentada (Por José Pereira).

Fórum criado aquando das primeiras eleições (2017) à representação dos beneficiários no Conselho Geral da ADSE,IP, sob o lema "por uma ADSE Justa e Sustentada (Por José Pereira).

ADSE: Forum dos Beneficiários - saudefp.pt

29
Ago17

ADSE: FÓRUM DOS BENEFICIÁRIOS - Porquê introduzir a tecnologia "Blockchain"?

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

Porque garante que a informação registada nos nossos processos individuais e institucionais se mantém segura, evitando a manipulação de registos, garantindo a privacidade e prevenindo a intrusão de terceiros.

O blockchain é um banco de dados. Mas o que torna esta tecnologia tão importante é o facto de não ser um banco de dados convencional, sendo que os sistemas baseados neste modelo de tecnologia e de rede funciona como um livro de registos, mas com a vantagem de ser inviolável, seguro e extremamente eficiente.

Veja-se que esta tecnologia está ligada ao sistema de moeda virtual denominada por Bitcoin, moeda esta que tem vindo a representar uma grande revolução nos meios de pagamento digital. O principal ingrediente do êxito do Bitcoin é precisamente o sistema de registo blockchain.

A tecnologia é de tal  modo segura e eficiente que, desde logo, ficou claro que o blockchain também pode ser usado em muitos outros sistemas, dos mais diversos tipos: financeiros, comerciais, governamentais, eleitorais, saúde, entre muitos outros que requeiram um elevado nível de segurança. 

Mas como é que o blockchain funciona? Quais as vantagens? Porque razão é tão revolucionário? 

É o que vamos tentar explicar muito sucintamente. 

Blockchain

Como estamos perante um sistema de banco de dados distribuído (distributed database) e sem intermediários, precisamos de um mecanismo confiável e inviolável para permitir transações diretas — ponto a ponto, sendo esse o papel do blockchain.

O blockchain é um sistema de registo que contém todas as informações e transações processadas no sistema, o que significa que tudo é processado e transacionado numa cadeia de blocos. Uma cadeia de blocos não é nada mais do que um conjunto de informações registadas que é ligado a blocos de informações anteriores e sucessores, permanecendo assim inviolável o registo de toda a informação que seja processada e transacionada, permitindo assim uma maior segurança para a tramitação dos processos médicos.

Esses blocos de informações também são públicos, no sentido de que todos os participantes da rede têm acesso aos mesmos.  Porém, quando processados, os blocos não podem ser apagados ou alterados, o que garante que não serão violados. Além disso, os novos registos de dados, só podem ser feitos mediante um processo de validação, limitando assim o banco de dados aos participantes na rede.

Este sistema e respetivos bancos de dados, por ser distribuído, passa a estar em milhares de computadores. Assim, quando uma atualização (legítima) é feita, todas as cópias são sincronizadas numa questão de segundos e desde logo visíveis para os participantes, onde quer que estejam. Pode até acontecer que um ou outro computador desapareça da rede, mas isso não afetará o sistema, pois todos os outros ainda lá estão e garantem por isso um elevado grau de segurança e de inviolabilidade.

Uma rede centralizada (esquerda) e uma rede distribuída
Uma rede centralizada (esquerda) e uma rede distribuída

Para certificar uma determinada informação registada numa cadeia de blocos e evitar fraudes, o blockchain conta com um mecanismo denominado por proof of work — prova de trabalho. Trata-se de um protocolo criptográfico que valida uma transação num determinado computador (ou noutro dispositivo de acesso à internet) por meio da resolução de um problema matemático.

Assim, as adulterações nas cadeias de blocos, por menores que sejam, gerarão resultados diferentes do esperado para esse problema matemático, impedindo assim o processamento da informação e da transação e, consequentemente, o seu registo. 

29
Ago17

ADSE: Lista B - CONHEÇA O MANDATÁRIO - POR UMA ADSE JUSTA E SUSTENTADA

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

MANDATÁRIO

Constantino Theodor Sakellarides - Nº BENEFICIÁRIO - 016496213 AP

Medalha de Ouro de Serviços Distintos, 2006, pelo Ministério da Saúde de Portugal.

 

ADSE_LOGO_Lista B_Mandatario e compromissos.jpg

Professor Catedrático de Políticas e Administração de Saúde, da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, com agregação em Políticas de Saúde, pela Universidade Nova de Lisboa, Escola Nacional de Saúde Pública, Políticas de Saúde (2003)

 

Atualmente Professor Catedrático Jubilado e Presidente do Conselho Geral da Universidade de Évora.

 

Licenciado em Medicina, pela Faculdade de Medicina de Lisboa (1967).

 

Mestrado em Epidemiologia, pela Escola de Saúde Pública da Universidade do Texas, EUA (1972).

 

Doutorado em Saúde Pública, pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade do Texas, EUA (1975).

 

Ao longo do seu percurso profissional e académico, desempenhou diversos cargos de direção superior em organismos nacionais e internacionais de Saúde Pública.

 

Distinções

Medalha de Ouro de Serviços Distintos, 2006, pelo Ministério da Saúde de Portugal;

The Baxter Award 1999 (European Health Care Management Association) “for an outstanding publication contributing to excellence in health care management in Europe”;

Honorary Distinction 2004 (Greek Association of General Practitioners – 15th anniversary) “for his contribution to the development of Primary Health Care and General Practice in Greece”.

 

Áreas de Interesse

Políticas de saúde e análises de sistemas de saúde.  

Saúde pública e administração de saúde.

Cuidados de saúde primários – organização e gestão.  

Conhecimento, informação e inovação em saúde.   

Responsabilidade de Liderança e Gestão

 

Ao longo do seu percurso profissional e académico, desempenhou diversos cargos de direção superior, designadamente:

Delegado de Saúde do Bárue, Moçambique (1968‐70)

Director do Centro de Saúde de Sofia Abecassis (1976‐1985)

Director Académico da Escola Andaluza de Saúde Pública, Espanha (1985‐87)

Director para as Politicas e Serviços de Saúde OMS/Europa, Copenhaga (1991‐95)

Presidente do Conselho de Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (1996)

Director Geral da Saúde (1997‐99)

Presidente do Conselho Científico da Escola Nacional de Saúde Pública (2004‐2006)

Director da Escola Nacional de Saúde Pública  

Presidente da Associação Portuguesa de Promoção para a Saúde Pública  

Presidente eleito da Associação Europeia de Saúde Pública  

 

Ensino

Participação no ensino nas Unidades Curriculares de Introdução à Saúde Pública e de Políticas de Saúde, nos Mestrados e Cursos de Especialização da ENSP.  

Orientação de mestrados e doutoramentos no domínio das políticas e administração de saúde.    

 

Investigação e participação em diversos projetos

1999‐2007  - Observatório Português dos Sistemas de Saúde

Parceiros:

Escola Nacional de Saúde Pública

Faculdade de Economia de Coimbra

Instituto Superior de Serviço Social do Porto (Participação)

 

2002‐2007 - Portal Gestão Saúde

Promotor: Fundação da Ciência e Tecnologia;

Programa Operacional da Sociedade de Conhecimento (Participação)

2005‐2008 - Cenários sobre a Gripe Pandémica

Promotor: Fundação Calouste Gulbenkian  

Parceiro: Direção Geral de Saúde (Coordenação)

 

2006 - Estudo de Utilização de um Tableau de Bord de indicadores para os Cuidados de Saúde Primários  

Protocolo entre o Alto Comissariado da Saúde e a Escola Nacional de Saúde  

Promotor: Direção Geral de Saúde   (Participação)

 

2006‐2007 - Desenvolvimento das Estratégias Locais de Saúde  

Promotor: Alto Comissariado da Saúde (Coordenação)

 

2006‐2007 - Sistemas de informação de saúde centrados no cidadão.  

Promotor: Direção Geral da Saúde  (Coordenação)    

 

Publicações (Seleção das contribuições mais relevantes)

SAKELLARIDES C; PEDRO AR; MENDES MS – Knowledge‐centered health innovation: the case for citizen health information systems. In KICKBUSCH, Ilona, ed. lit. – Policy Innovation for Health. New York, NY : Springer Science. Business Media, LLC, 2009. 165‐201.

SAKELLARIDES, C.; ALVES, Valente, Manuel, ed. lit.‐ Lisboa, saúde e inovação : do renascimento aos dias de hoje. Lisboa : Gradiva, 2008.

PAGET, Dineke Zeegers; SAKELLARIDES, Constantino; KESKIMÄKI, Ilmo, ed. lit. ‐ EUPHA CONFERENCE, 16, Lisbon 6‐8 November 2008 ‐ I‐health : Health and innovation in Europe : abstracts. European Journal of Public Health. 18 : Suppl. 1 (2008) 232 p.   

SAKELLARIDES, C. ‐ A Lisbon agenda on health innovation : editorial. European Journal of Public Health. 18 : 2 (2008) 102‐103.

SAKELLARIDES, C. Gestão da mudança e planeamento estratégico em saúde – guia para um investimento consequente. In Investir em Saúde Contributos dos Fundos Estruturais Comunitários em Portugal e no Sector da Saúde. Lisboa: Gabinete de Gestão do Saúde XXI, 2007. p. 25‐36.

SAKELLARIDES, C. et al. Manifesto para um futuro melhor. In O Futuro da Saúde em Portugal. Lisboa: Companhia de Ideias, 2006. p. 33‐48.

SAKELLARIDES, C., Stewardship. In Marinker, M., (ed.) 2006. Constructive Conversations about Health and Values. Radcliffe Publishing, Oxford.

KICKBUSCH, I., SAKELLARIDES, C. Flu City‐Smart City: applying health promotion principles to a pandemic threat. Health Promot. Int.2006; 21: 85‐87

SAKELLARIDES, C. De Alma a Harry: Crónica da democratização da saúde. Coimbra: Almedina, 2005.

OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DOS SISTEMAS DE SAÚDE. SAKELLARIDES, C., coordenador ‐ Novo Serviço Público de Saúde – Novos Desafios. Relatório de Primavera 2005. Lisboa: OPSS, 2005.

BENTES, M.; DIAS, C.; SAKELLARIDES, C. ‐ Health care systems in transition: Portugal. Copenhagen: European Observatory on Health Care Systems, 2004.

OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DOS SISTEMAS DE SAÚDE. SAKELLARIDES, C., coordenador – Incertezas: Gestão da mudança em saúde.Relatório de Primavera 2004. Lisboa: OPSS, 2004.

SAKELLARIDES, C. ‐ El valor de la salud e su “gobierno” en un mundo globalizado posmoderno: el encuentro de la Bella y la Bestia.Humanitas, Humanidades Médicas. 1: 3 (2003) 91‐100.  (Escrito em inglês sob o título “Health governance in a global post modern world : when Beauty meets the Beast).

OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DOS SISTEMAS DE SAÚDE. SAKELLARIDES, C., coordenador ‐ Saúde: Que Rupturas? Relatório de Primavera 2003. Lisboa: OPSS, 2003

 OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DOS SISTEMAS DE SAÚDE. SAKELLARIDES, C., coordenador ‐ O estado da saúde e a saúde do Estado. Relatório de Primavera 2002. Lisboa: OPSS, 2002

OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DOS SISTEMAS DE SAÚDE. SAKELLARIDES, C., coordenador ‐ Conhecer os caminhos da saúde : Relatório de Primavera 2001. Lisboa: OPSS, 2001

SAKELLARIDES, C. ‐ Direção estratégica e gestão de expectativas no sistema de saúde português: o papel de um observatório para os sistemas de saúde. Revista Portuguesa de Saúde Pública. 18: 1 (Janeiro/Junho 2000) 27‐34.

SALTMAN, R. ; FIGUERAS, J. ; SAKELLARIDES, C. ‐ Critical challenges for health care reform in Europe. Buckingham: Open University Press, 1998. (Baxter Award 1999) SAKELLARIDES, C. ; ARTUNDO, C., ed lit. ‐ Health care reforms in Europe. Madrid: Ministerio de Sanidad y Consumo, 1993.

SAKELLARIDES, C. ‐ Centros de saúde integrados: nova espécie de estereótipos ou instrumentos de desenvolvimento? Revista Portuguesa de Clínica Geral. 1 (1984) 12‐15.  

SAKELLARIDES, C. ‐ Cuidados de saúde primários : entre a cultura e a técnica, entre a realidade e a utopia. Boletim de Educação Sanitária. 6: 1 (1983) 5‐11.  

SAKELLARIDES, C. ‐ Primary health care in Europe: a perspective. Primary Health Care. 1 : 3 (1983) 14‐ 15.  

SAKELLARIDES, C.; BRIZ, T. ‐ Sistemas de decisão e informação em cuidados de saúde primários. Revista Portuguesa de Saúde Pública. 4 (Outubro/Dezembro 1983) 5‐14.   

SAKELLARIDES, C., et al. – O serviço de cuidados de saúde primários: princípios e reflexões sobre uma experiência. Lisboa: Escola Nacional de Saúde Pública, 1979 (Cadernos de saúde; 1).  

 

ADSE_LOGO_Lista B_Compromissos.jpg

ADSE_LOGO_Lista B_foto topo lista b candidatos.jpgADSE_LOGO_Lista B_separador_1.jpg

 

28
Ago17

ADSE: Lista B - MANIFESTO ELEITORAL - POR UMA ADSE JUSTA E SUSTENTADA

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

O nosso compromisso é com os beneficiários.

ADSE - Lista B - Compromissos

 

Decreto-Lei nº 7/2017 de 9 de Janeiro, que cria o Instituto de Protecção e Assistência na Doença, IP (ADSE,IP), prevê o funcionamento de um Conselho Geral e de Supervisão onde, entre outros, estarão quatro representantes eleitos por sufrágio universal e direto dos beneficiários titulares da ADSE. Este Conselho tem atribuições importantes, nomeadamente a eleição de um membro para o Conselho Directivo da ADSE, IP, bem como a emissão de pareceres sobre documentos fundamentais para o funcionamento deste Instituto Público de Gestão Participada.


Entretanto, estão já em preparação um novo Estatuto Orgânico da ADSE, que inclui a criação do Provedor do Beneficiário, e um projeto de alteração do DL 118/83, instituindo um novo "regime de benefícios" o qual irá incluir questões fundamentais como o alargamento do universo de beneficiários, o valor dos descontos a praticar por estes e pelos seus agregados familiares, bem como a hipótese de a ADSE passar a fazer a prestação direta de serviços de saúde em estabelecimentos próprios, criados ou adquiridos para o efeito, indo além da sua vocação como garante financeiro do acesso dos beneficiários a cuidados de saúde.


É neste quadro que se apresentam os candidatos desta lista, de 4 efetivos e 4 suplentes, para a eleição direta ao Conselho Geral e de Supervisão, com o objetivo de garantir a defesa dos direitos e das melhores condições para os beneficiários da ADSE, enfrentando quaisquer tipos de pressão da ”indústria” da saúde, mais ou menos subtis, bem como eventuais dificuldades de sustentabilidade financeira que este Instituto poderá vir a enfrentar, a médio e a longo prazo, e que podem vir a afetar quer as contribuições dos beneficiários, quer a natureza e a extensão dos benefícios de que usufruem.


Além da consciência dos desafios que o funcionamento da ADSE suscitará no futuro, cumpre-nos tornar claro o conjunto das nossas propostas quanto à atuação a desenvolver no Conselho e que são as seguintes:


♦ Pugnar por uma ADSE ao serviço dos seus beneficiários, em articulação com o Serviço Nacional de Saúde, visando maior eficiência e sustentabilidade da ADSE e do próprio SNS;


♦ Apoiar a defesa de medidas que assegurem a promoção da saúde e a prevenção da doença;


♦ Propor a redução sustentada das contribuições dos beneficiários e a melhoria dos benefícios proporcionados pela ADSE;


♦ Propor o estabelecimento, pela ADSE, IP, de mecanismos de controlo do atendimento dos beneficiários e familiares pelos prestadores do regime convencionado (hospitais, clínicas, centros de diagnóstico e laboratórios) que evitem a sua discriminação, designadamente em matéria de prioridades de atendimento e/ou imposição de atos adicionais desnecessários e geradores de despesa, tanto para os beneficiários como para a ADSE, IP, bem como a discriminação positiva por questões de interioridade geográfica;


♦ Propor a revisão das condições de admissão/manutenção/exclusão de familiares dos beneficiários, sem idade limite para a extensão dos benefícios aos cônjuges dos beneficiários titulares;


♦ Rejeitar qualquer forma de discriminação entre os atuais e futuros beneficiários, titulares ou “associados”, designadamente quanto à idade, à amplitude dos benefícios ou ao valor dos descontos a praticar;


♦ Rejeitar o alargamento do universo dos beneficiários através de acordos com entidades empregadoras privadas;


♦ Propor a inscrição automática na ADSE de todos os novos trabalhadores do Estado que expressamente não a rejeitem;


♦ Defender que o Provedor do Beneficiário seja designado pelo Conselho Geral e de Supervisão e que este acompanhe regularmente a sua atividade, nomeadamente no que respeite à qualidade do atendimento e à relação dos beneficiários com a ADSE, IP;


♦ Promover a adaptação e/ou o desenvolvimento de aplicações informáticas de utilização fácil e gratuita, para telemóveis e/ou computadores pessoais, que apoiem os beneficiários na gestão pessoal da sua saúde e da dos seus familiares, em parceria entre a ADSE,IP e o SNS;


♦ Defender a criação de um sistema de controlo da qualidade dos serviços dos prestadores do regime convencionado, cobrindo tanto aspetos objetivos (boa e atempada execução dos atos médicos, exames e adequação das prescrições/medicação) como os subjetivos (satisfação dos beneficiários);


♦ Defender a manutenção da natureza da ADSE, rejeitando a realização de “negócios” ou a adoção de medidas que visem a sua transformação numa entidade prestadora de serviços de saúde e condicionar quaisquer decisões estratégicas sobre desenvolvimentos futuros a estudos de viabilidade que recolham parecer favorável dos representantes dos beneficiários no Conselho Geral e de Supervisão;


♦ Propor uma atualização adequada dos reembolsos aos beneficiários previstos no regime livre, em especial nas consultas;


♦ Propor a elaboração de Planos Anuais de Auditorias às convenções que a ADSE, IP estabelece com as entidades prestadoras do regime convencionado, de modo a pôr em evidência o mérito da despesa que geram e a sua eficácia no tratamento dos beneficiários, e acompanhar os respetivos resultados;


♦ Defender a cobrança e regularização prioritária das dívidas à ADSE, IP de entidades devedoras, nomeadamente de Institutos Públicos, Autarquias Locais ou Regiões Autónomas, bem como a compensação financeira pelo OE das isenções de quotização aprovadas;


♦ Promover em parceria entre a ADSE,IP e o SNS, o desenvolvimento de um sistema descentralizado de registos clínicos, com recurso à chamada tecnologia blockchain (que evita a manipulação de registos, garante a privacidade e previne a intrusão por terceiros). Tendo em consideração que os beneficiários da ADSE alternam com frequência entre a medicina privada e o SNS, este sistema criará condições seguras para circulação da informação entre as entidades prestadoras dos dois sistemas de saúde, de modo a evitar a duplicação de atos médicos, meios de diagnóstico e outras prescrições, de modo a preservar a integridade do historial clínico de cada beneficiário.


Com este programa e uma presença forte no Conselho Geral e de Supervisão, garantiremos uma ação esclarecida e firme na defesa dos direitos dos beneficiários, quer se encontrem no ativo, quer aposentados.


Só através de uma forte mobilização para a eleição dos seus representantes é que os beneficiários da ADSE obterão uma presença firme nos seus órgãos de gestão e de supervisão, garantindo uma dinâmica justa e consistente no seu funcionamento.


Por todas estas razões e porque queremos uma ADSE ao serviço dos seus beneficiários, esta Lista defende “UMA ADSE JUSTA E SUSTENTADA”.

ADSE -Lista B - Vetores do programa

 

 

  • O DIREITO DOS BENEFICIÁRIOS, ÚNICOS FINANCIADORES DA ADSE, A DECIDIR DA UTILIZAÇÃO DOS FUNDOS CONSTITUÍDOS COM OS SEUS ELEVADOS DESCONTOS;

 

  • A REDUÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES, A MELHORIA DOS BENEFÍCIOS E O AUMENTO DOS REEMBOLSOS NAS CONSULTAS DO REGIME LIVRE;

 

  • A IGUALDADE DE OPORTUNIDADES NA MARCAÇÃO DE CONSULTAS, NA REALIZAÇÃO DE EXAMES MÉDICOS E NOS TRATAMENTOS;

 

  • A NÃO DISCRIMINAÇÃO ENTRE OS ACTUAIS E OS FUTUROS BENEFICIÁRIOS, QUANTO A IDADE, À AMPLITUDE DOS BENEFÍCIOS OU VALOR DAS CONTRIBUIÇÕES A PAGAR;

 

  • A IMPLEMENTAÇÃO DE MECANISMOS DE AUDITORIA, AVALIAÇÃO E CONTROLO DA QUALIDADE DOS PRESTADORES EM REGIME CONVENCIONADO.

ADSE_LOGO_Lista B_foto topo lista b candidatos.jpg

ADSE - VOTE AQUI

 

28
Ago17

ADSE Justa e Sustentada - RESULTADOS ELEITORAIS

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

ADSE_LOGO_Lista dos beneficiarios_logotipo.jpg 

 

Resultados eleitorais 2017

No dia 19 de setembro de 2017, realizou-se o ato eleitoral dos quatro membros representantes dos beneficiários titulares para o Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, I.P..

Este processo eleitoral contou com a participação de 18.421 votantes, tendo-se obtido 18.067 votos válidos, depois de apurados 187 votos nulos e 167 votos em branco.

A distribuição destes votos pelas sete listas candidatas, foi a seguinte:

Lista A1.790
Lista B - ADSE Justa e Sustentada2.564
Lista C486
Lista D449
Lista E3.136
Lista F1.327
Lista G8.315

 

Do apuramento dos resultados, pelo método de Hondt, foram eleitos os seguintes membros efetivos:

1.º Eleito – Francisco José dos Santos Braz
…………  ……..1.º membro efetivo da Lista G – Por uma ADSE Pública e dos Trabalhadores

2.º Eleito – António José Coelho Nabarrete
………… . ……..2.º membro efetivo da Lista G – Por uma ADSE Pública e dos Trabalhadores

3.º Eleito – João António Gomes Proença
…………  ..:……1.º membro efetivo da Lista E – Por uma ADSE Pública ao Serviço dos Beneficiários

4.º Eleito – Manuel Bernardino Cruz Ramos
 …………  ……..3.º membro efetivo da Lista G – Por uma ADSE Pública e dos Trabalhadores

 
  
 

 

 

Listas admitidas, locais, horários, formas e meios de votação

Foram admitidas pela Comissão Eleitoral sete listas candidatas no Processo Eleitoral dos Membros Representantes dos Beneficiários Titulares da ADSE, I.P. no Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, I.P..

Leia aqui o anúncio completo das listas admitidas, locais, horários, formas e meios de votação[+]

 

 

Como votar eletronicamente

Pode votar de forma eletrónica clicando em https://certvote.com/ADSE2017, o qual estará disponível apenas no dia do ato eleitoral, próxima terça feira, dia 19 de setembro, entre as 9h00 e as 17h00 no Continente e na Madeira e entre as 8h00 e as 16h00 nos Açores.

Para votar de forma eletrónica, autentique-se neste link com o seu número de beneficiário da ADSE e a senha secreta que lhe foi enviada pela ADSE, I.P., por carta ou por e-mail.

 

 

Consulte informação sobre a Lista A - Pela Nossa Saúde – Uma ADSE Mais Solidária

A lista A - Pela Nossa Saúde – Uma ADSE Mais Solidária, tem como mandatário José Joaquim de Campos Duarte Lourenço e como primeiro membro Maria Helena Correia da Silva Rodrigues.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+]

 

Consulte informação sobre a Lista B - Uma ADSE Justa e Sustentada

A lista B - Uma ADSE Justa e Sustentada, tem como mandatário Constantino Theodor Sakellaridese como primeiro membro António José Borrani Crisóstomo Teixeira.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+]

 

 

Consulte informação sobre a Lista C - Por Uma ADSE Mais Justa

A lista C - Por Uma ADSE Mais Justa, tem como mandatário Hélder Sá e como primeiro membro António José Ferreira Pereira.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+]

 

 

Consulte informação sobre a Lista D - As Pessoas Primeiro!

A lista D - As Pessoas Primeiro!, tem como mandatário Luís Miguel das Neves Campos Almeida e como primeiro membro Luís Paulo Carreira Fonseca da Costa.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

 

 

Consulte informação sobre a Lista E - Por Uma ADSE Pública ao Serviço dos Beneficiários

A lista E - Por Uma ADSE Pública ao Serviço dos Beneficiários, tem como mandatário Fernando Manuel da Costa Silva e como primeiro membro João António Gomes Proença.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+]

 

 

Consulte informação sobre a Lista F - Futuro Protegido!

A lista F - Futuro Protegido!, tem como mandatário e primeiro membro Arminda da Conceição Cavaco Pica.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+]

 

 

Consulte informação sobre a Lista G - Por Uma ADSE Pública e dos Trabalhadores

A lista G - Por Uma ADSE Pública e dos Trabalhadores, tem como mandatário Ana Joaquina Gomes Avoila e como primeiro membro Francisco José dos Santos Braz.

Consulte aqui mais informação sobre esta lista.

Membros da Lista [+]

Manifesto [+]

Comunicado 1 [+]

Comunicado 2 [+] 

01
Ago17

ADSE: APOIOS, PROPOSTAS E SUGESTÕES

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

ADSE_LOGO_Opinião dos Beneficiários.jpg

Este espaço é disponibilizado a todos os beneficiários para publicação de artigos, opiniões, sugestões e propostas relativas à temática da ADSE. 

Os artigos e comentários estão ordenados por ordem cronológica, aparecendo os mais antigos no início e os mais recentes no final da página,  isto de modo a apresentarem uma sequência da opinião, da leitura e dos respetivos cometários. Só os comentários anónimos é que serão alvo de aprovação, os restantes são publicados automaticamente e todos da exclusiva responsabilidade dos seus autores e comentadores.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Para publicar um novo artigo ou opinião, entre aqui

 

Para ler os artidos de opinião e responder, entre aqui

 

01
Ago17

ADSE: Aceda aqui aos serviços disponibilizados pela ADSE

ADSE Justa e Sustentada Fórum dos Beneficiários da ADSE (Admin. José Pereira)

Comentários recentes

Deixar mensagem

Acompanhe-nos aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D